terça-feira, 30 de agosto de 2011

50 anos de Paulinho Criciúma


Paulinho Criciúma foi o artilheiro do Carioca de 89

Hoje, dia 30 de agosto, o ex-atacante do Botafogo, Paulinho Criciúma, artilheiro do Campeonato Carioca de 1989, completa 50 anos de vida. Lembro muito pouco dele jogando. Mas sei que foi um ídolo botafoguense, inclusive meu na minha infância. Até hoje ouço o cd com a gravação do áudio da partida contra o Flamengo, em que o barbudo acertou uma cabeçada na trave. O momento mais emocionante após o fim da partida e o título foi quando Paulinho Criciúma chorou ao ser perguntado pela mãe se estava tudo bem com ele, que havia levado pontos por uma pancada na cabeça.

Lembro que uma vez já nos idos dos anos 2000 fui com uma camisa antiga da época da Coca-Cola a um jogo de masters entre Botafogo e Flamengo no estádio do Goytacaz. Os flamenguistas mexeram comigo dizendo que aquela camisa era da época do Paulinho Criciúma. Para se ter uma ideia do que representava o Criciúma para nossos adversários, que o temiam. Uma referência do time, como é Loco Abreu hoje. Lendo o Blog Arquiba Botafogo, do grande intelectual Paulo Marcelo Sampaiio, descubro que Criciúma era socialista, o que teria prejudicado sua carreira na Seleção, comandada por militares na época da ditadura.

Abaixo um poema escrito por Paulinho Crciúma em homenagem ao clube de General Severiano:


Ah Botafogo

Ah Botafogo
Surgiste outra vez,
fazendo-nos gritar, pular, chorar, sorrir
Deste a glória de ser teu
Por tuas taças conquistadas
Com raça ditando graças

Ah Botafogo
Apaixonante, glorioso
Romântico, impetuoso
Teu brilho voltou
Teu nome voltou
Tua amada torcida se engravidou
Com a lança da esperança, Botafogo
Me deste a luz da vitória
Resgatando a alegria
Teu fogo não apagou
Ainda reluzes com raio revoltado
Provocando lágrimas valente
Em faces contentes, emocionando a gente.

Ah Botafogo
Bota fogo na gente
Explode meu peito
Me deita no leito
Com ressaca do feito
Vai Botafogo
Te mostra machão
Com teu fogão coração explosão de emoção
Vai Botafogo
Levantaste os panos para vingar os anos
Essa é a tática
Para essa torcida lunática
Do riso ao gozo

Ah Botafogo
Saciaste nossa fome
Com o gol em teu nome
Somos teus filhos eternos
Amantes
Com lágrimas expostas iniciando nova fase
Ah como te amamos
Teu preto, teu branco
A estrela agora domina
E nos leva pra fonte
No monte do pra sempre vencer

Um comentário:

  1. Não era craque. Mas um jogador de muita garra e dedicação extrama. Ficou tremendamente identificado com o Botafogo, mesmo tendo atuado também pelo Bangu, clube ao qual foi contratado pelo alvinegro.

    ResponderExcluir